• Amanda Alves

O vendedor de feira e o vendedor de sex shop: tenha ambos


Foto de ANTONI SHKRABA - Pexels



Eu sei (melhor, tenho certeza) que você já ouviu e leu uma série de materiais sobre os tipos de vendedores e abordagens de vendas.


Até porque, a gente sempre precisa se inspirar e obter as informações necessárias para continuar evoluindo nesse mercado, adquirindo conhecimento ou mesmo para se distrair mesmo, você sabe disso. Realmente nunca paramos de pensar em vendas.


Foi com essa ideia que eu decidi trazer uma pequena analogia aqui sobre dois tipos distintos de vendedores, e que pouca gente conhece: o vendedor de feira livre e o vendedor de sex shop.


Você sabe qual a diferença entre eles? Já li sua mente e sei a resposta, por isso, vem comigo no post de hoje então!


O vendedor de feira livre


Pense naquele cara super comunicativo, que fala alto, que fala com todo mundo, na maior "cara de pau" mesmo... o cara cheio de energia e de tesão pelo que faz!


Esse até parece o cenário do vendedor ideal, né? Um cara que motiva só de olhar.


Chamamos esse cara aí de o vendedor de feira livre. O motivo acho que nem preciso te explicar, ele atua como se estivesse em uma feira mesmo.


Quem já foi alguma vez na vida sabe como essas feiras funcionam. Gritaria para todo lado, oferta lá e cá e todo mundo tentando se engolir para conquistar o cliente.


O vendedor de feira livre é esse cara enérgico, pra frente e destemido. A gente sempre acha muitos dele por aí - e acreditamos ser o único perfil que existe, que se não for assim não dá para trabalhar com vendas.


Até que conhecemos o vendedor de sex shop...



O vendedor de sex shop


Você até pode ter estranhado o nome nesse primeiro momento, mas assim que eu começar a explicar tudo vai ficar mais fácil.


Imagine agora aquele cara fechadinho, que não se comunica com as multidões, que é mais na dele e que, algumas vezes, parece até não ser nada. Ninguém dá nada por esse cara!


Só que bastam alguns minutos de conversa e... esse cara te surpreende.


Não, melhor do que isso: ele te convence. Te convence ao ponto de você comprar e sair com um sorriso no rosto.


Bom, esse é o vendedor de sex shop.


Damos esse nome porque é o perfil de um vendedor mais discreto, que converte ali no sussurro do 1x1. Ninguém espera encontrar gritos e muita conversa aberta em um sex shop, não é?


Vendedores com esse perfil são interessantes pois eles se conectam empaticamente com os sonhos e os medos do cliente, muito por conta da empatia que eles conseguem transmitir.


Qual dos dois é melhor?


Eu estaria mentindo se dissesse que um é melhor do que o outro: precisamos de ambos dentro da nossa equipe comercial. Tudo vai, no fim, depender do cliente e das características dele.


O vendedor de feira livre pode ser mais interessante em situações onde é necessário fechamento rápido e com mais tomadores de decisão, já o vendedor de sex shop cai muito bem naqueles casos onde precisamos gerar muita conexão com o lead.


Se alinharmos os dois, perfeito! Temos uma equipe comercial completa e pronta para vender mais.


Agora que você entendeu essa ideia, que tal debatermos sobre ela? Te espero lá em meu Instagram @LinconBeraldo para falarmos sobre o assunto!

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo