• Amanda Alves

Conteúdo e empresas: essencial para mais vendas


Foto de Judit Peter - Pexels


Conteúdo, conteúdo, conteúdo. Hoje não se fala mais sobre outro assunto quando o objetivo é crescer nas redes sociais, e toda empresa - inclusive a sua - precisa produzir conteúdo para ser vista pelos seus clientes.


Mas, o que realmente é conteúdo? Uma dica ali ou uma informação aqui?

Eu gosto de definir o conceito de conteúdo através de 4 esferas: informativo, educativo, cômico e inspiracional.


Os conteúdos informativos são aqueles que visam contar algo que a audiência — supostamente — precisa saber. Uma novidade, uma mudança, informações que não necessariamente são de tanto valor prático, porém, que servem para manter a ordem e guiar o consumidor quando necessário.


Já o conteúdo educativo tem a missão de ensinar uma habilidade ou conceito que seja valiosa e útil para o público. É aqui onde a maioria das pessoas que falam sobre conteúdo estão trabalhando (inclusive, esse texto é um exemplo disso). Agregar valor e conhecimento para o público. No setor solar, por exemplo, podemos produzir um conteúdo educativo sobre como cuidar bem do próprio equipamento.


Precisamos ter um pouco de cuidado ao falar sobre o conteúdo cômico: ele não se adapta a qualquer comunicação, supostamente não deve ser usado toda hora e precisa de muita, muita cautela na forma como será apresentado.


Você não vai me ver fazendo dancinha de sunga com uma música engraçada e também não verá a Ferrari fazendo um conteúdo cômico como uma página de humor. Porém, é possível que você veja um banco sério como o Itaú trazendo um leve tom de brincadeira em alguma comunicação.


O importante aqui é saber o posicionamento/voz da marca, o comportamento do cliente ideal e, principalmente, o timing da comunicação. Se bem utilizado o conteúdo cômico é uma das excelentes formas de atrair novos fãs e aumentar a conexão com os já existentes, e isso faz total diferença no sucesso da marca.


Por fim, temos o conteúdo que eu gosto de denominar como inspiracional. Todos os valores, visões e inspirações da marca são levados em conta e expostos aqui, tendo como objetivo fazer com que o público se identifique com todos esses conceitos, abraçando o emissor e se sentindo em casa. É um tipo de conteúdo para gerar conexão e posicionar a marca na mente e coração do público. Uma união entre branding + cosmovisão.


Agora vamos à seguinte questão: qual desses conteúdos deve vir com mais frequência?


A resposta é… depende!


Uma marca de luxo não deve utilizar tanto o cômico, pode usar o educativo com moderação e deve utilizar bastante o inspiracional. Já uma marca humorística deve utilizar-se bastante do cômico, informativo e educacional. Se possível, ela ainda utiliza também o inspiracional, gerando assim um posicionamento na mente do consumidor.


A única regra que existe (ou pelo menos, que observei até o momento) é que não se deve escolher só um tipo: apenas conteúdo informativo não gera autoridade, apenas conteúdo educacional enfada e apenas conteúdo cômico torna-se besteirol. É preciso mesclar!


Lembre-se: você deve manter o público interessado na verdade que você tem a falar, esperando pela sua fala e, principalmente, alinhado com as visões que você possui. Essa é a verdadeira definição de engajamento contínuo.


Com um engajamento contínuo é possível manter aquele cliente envolto na atmosfera da marca, pronto para quando uma oferta de compra surgir… e daí você oferece.


Em terra de engajamento, produzir conteúdo é rei.

E produzir conteúdo eficiente é Deus.


Você já sabia da importância do conteúdo dentro de uma empresa? Esse é mais um dos pilares que auxiliamos aqui na LB Company, afinal, conteúdo é também uma das estruturas de toda empresa de sucesso.


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo