• Lincon Beraldo

Como ter o Melhor Dashboard de Vendas?

Você sabe me dizer quantas vendas sua equipe fez este mês?


Sabe me dizer qual é o ticket médio das suas vendas?


Consegue me responder, sem titubear, se sua equipe comercial está conseguindo bater as metas?


Caso não tenha certeza de algumas das respostas, isso significa que sua empresa está precisando urgentemente de um dashboard de vendas.


Mas não se preocupe: hoje vou te mostrar o que é essa ferramenta tão importante, e como você pode desenvolver o seu.




O que é um Dashboard de Vendas?


A palavra dashboard em inglês, significa painel de controle.


E neste caso, ele mostra as principais informações e indicadores da área comercial da empresa de forma consolidada e visual.


Veja a seguir um exemplo de dashboard de vendas, com uma visão completa de gerenciamento de contas:


Fonte: Tableau


Com o dashboard de vendas você consegue atualizar as informações de forma automática sobre o número de propostas enviadas no período, as metas alcançadas por vendedor, quais foram os equipamentos e serviços mais vendidos, e o ticket médio.


Essa ferramenta é 100% personalizável, e cada empresa pode desenvolver um dashboard de vendas com as informações e métricas que fazem mais sentido.


Veja nas próximas linhas como você pode montar o seu!


#1 Liste quais Métricas serão Acompanhadas


Para começar a montar seu dashboard de vendas, a primeira coisa é pensar nas principais métricas que serão analisadas.


Por exemplo, se você deseja saber se seu processo de pré-venda está sendo efetivo, o número de oportunidades geradas pode ser uma excelente métrica.


Outros exemplos incluem:


  • Vendas realizadas em um período;

  • Ticket médio;

  • Conversão de MQL’s em SQL’s;


Uma dica importante é colocar apenas as métricas que terão real impacto na análise das suas estratégias e ações.


Sobre isso, veja o que disse Keren Rosenfeld, diretora de marketing da gigante Similar Tech:


“Nem todas as métricas precisam ser monitoradas e dependendo do seu negócio, algumas serão muito mais importantes do que outras.”


E lembre-se de incluir os dois tipos de métricas: baseadas em resultados, como número de vendas em um período, e baseadas em atividade, como quantidade de horas trabalhadas.


#2 Defina seus KPI’s


A sigla KPI (Key Performance Indicator) significa “indicador chave de performance”, e não é a mesma coisa que métrica - anote bem isso!


Isto porque as métricas são apenas medidas que constituem um indicador, não tendo uma meta ou objetivo atrelado a ela.


Já um KPI é um conjunto de métricas que, ao se associarem a uma meta, os números irão dizer se ela está próxima ou não de ser atingida.


Em outras palavras, quando você define os principais KPI’s para um dashboard de vendas, consegue monitorar se seu time comercial está tendo progresso.


Alguns exemplos de KPI’s que você pode utilizar em seu dashboard de vendas podem ser:


  • Crescimento de 20% no número total de vendas;

  • Aumento de 30% no ticket médio;

  • Aumento em 15% no número de oportunidades geradas;

  • Redução de 10% no número de vendas perdidas.


#3 Adicione seu Próprio Funil de Vendas


Nenhum setor comercial funciona bem sem um funil de vendas.


E quando se fala em montar um dashboard, ele também não pode ficar de fora.


Isso porque você consegue identificar oportunidades e gargalos que precisam de sua atenção.


Veja as informações que você pode extrair ao incluir seu funil de vendas no dashboard:


  • Tempo médio que os leads permanecem em cada etapa;

  • Quais etapas os compradores demoram mais para sair;

  • Porcentagem de clientes que fecham após uma demonstração;

  • Taxa de churn (que nada mais é o número de clientes que cancelam uma compra).



#4 Cuide da Parte Visual


Seu dashboard de vendas deve ser algo fácil de ser compreendido, e não uma obra de arte abstrata que ninguém sabe como interpretar.


A dica minha é: mantenha a parte visual o mais simples possível.


Escolha uma paleta de cores harmoniosa, que destaque o que mais importa e também tenha uma conexão com sua marca.


Caso não saiba por onde começar, você pode pedir dicas para um designer sobre a parte visual de seu dashboard de vendas.


Não deixe de incluir gráficos de barras, medidores ou em modelo de teia de aranha, por exemplo.


E por fim, não esqueça de definir alertas para realmente agilizar seu processo de decisão – sem que o visual do dashboard de vendas fique sobrecarregado com informações demais.



#5 Mantenha a informação padronizada e acessível


Lembre-se de uma coisa: seu dashboard de vendas não deve ser feito pensando apenas nos líderes e gerentes.


Ele será imprescindível para que todos do time de venda possam acompanhar seu desempenho, funcionando como um guia.


Por isso, é fundamental que ele seja acessível – fácil de encontrar e simples de se interpretar.



Seu Dashboard de Vendas te Guia para o Caminho do Sucesso


Considere seu dashboard de vendas como o GPS que você precisa para fazer uma viagem em uma cidade que você desconhece totalmente


Com ele, você consegue rastrear e monitorar o desempenho de seu time comercial, analisando se seus esforços estão direcionando sua empresa para o caminho certo.


Inclusive, ele é uma excelente maneira de conseguir uma boa previsibilidade de vendas, auxiliando no desenvolvimento de estratégias que visam o crescimento de sua empresa.


E caso você note que esteja “saindo do trajeto”, é possível analisar através dele quais melhorias precisam ser feitas, e assim, recalcular a rota.


Use este guia para construir o seu dashboard de vendas e sinta como ele faz uma enorme diferença,


E se você quer acelerar a evolução de seu time comercial em tempo recorde, construindo um dashboard de vendas e ampliando seu processo de vendas, convido você a conhecer a minha consultoria 50 em 5!


14 visualizações0 comentário